O projeto

O projeto

Um encontro entre a arte brasileira e a educação

O InConto Marcado nasceu com o objetivo de utilizar a sinergia entre a literatura e o teatro brasileiros como uma ferramenta de educação e estímulo à leitura. Tendo como ponto de partida o desenvolvimento e a circulação de peças teatrais baseadas em obras da literatura nacional, o projeto de arte-educação já levou espetáculos e oficinas teatrais a quase 30 cidades das regiões Norte e Nordeste do Brasil. Desde a sua fundação, em 2010, até hoje, o Inconto Marcado atingiu um público total de mais de 35 mil espectadores, além de mais de 1600 professores capacitados nas oficinas de teatro.

As três peças desenvolvidas e apresentadas – Fio Após Fio, Brejo das Flores e Plantou Palavra, Colheu Poesia – partem de universos ficcionais diferentes para abordar de forma poética uma das questões mais importantes do nosso tempo: como manter vivas as pontes que ligam a infância à vida adulta, a imaginação ao cotidiano. Com linguagem acessível e temáticas profundamente conectadas à realidade contemporânea brasileira, os espetáculos e oficinais teatrais têm entre seus principais objetivos a democratização do acesso à arte, a formação de plateia e o estímulo à leitura.

Para isso, bebem em algumas das fontes mais tradicionais da arte brasileira, como o teatro mambembe, a contação de histórias e a literatura. Partindo de textos de autores de diferentes gerações, mas unidos pela sensibilidade de enxergar a poesia presente nas situações mais distantes, das extraordinárias às cotidianas. O resultado é uma abordagem multidisciplinar, onde a literatura, o teatro e a educação unem forças para tocar e encantar pessoas de diferentes regiões e toda sorte de crianças, inclusive as enrugadas e calvas.

Prêmios e editais:

  • Prêmio Funarte de Circulação Literária - 2010
  • Edital Mecenas das Artes do Ceará - Edições VI, VII, VIII e IX
  • Edital Enel de Seleção de Projetos Culturais Esportivos Incentivos RJ – 2019

10 anos de estrada

Após seis anos (2011 a 2016) circulando com Fio Após Fio e Brejo das Flores, o InConto Marcado estreou, em novembro de 2017, o seu terceiro e mais recente espetáculo: Plantou Palavra, Colheu Poesia. A montagem, uma homenagem aos poetas e cantadores do Nordeste, é uma livre adaptação do livro homônimo de Socorro Acioli. A autora foi a vencedora do Prêmio Jabuti 2013, na categoria Infantil, com o livro Ela tem olhos de céu.

Com a criação do InConto, Daniele realizou o antigo sonho de utilizar a arte brasileira como catalisadora da educação. E, tendo como base o teatro itinerante, levar o projeto a municípios do interior dos estados brasileiros, exercitando a democratização da arte.

Depois de vencer, em 2010, o Prêmio Funarte de Circulação Literária, o projeto apresentou os espetáculos Fio Após Fio e Brejo das Flores, em sete municípios com baixo IDH, pertencentes ao Programa do Governo Federal Territórios da Cidadania. Inspirados em contos de Marina Colasanti e Luís Jardim, as montagens passaram por três cidades do Ceará (Barbalha, Crato e Nova Olinda) e quatro do Tocantins (Novo Acordo, Santa Tereza do Tocantins, Aparecida do Rio Negro e Lagoa do Tocantins). Atingindo um público de 9.300 crianças e capacitando mais de 500 professores através de oficinas.

A partir de 2014, com aprovações em edições sucessivas do Edital Mecenas das Artes do Ceará, e contando com o apoio da Enel, os espetáculos foram apresentados em mais 17 municípios cearenses. Com montagens vibrantes, fundamentadas na exaltação da cultura popular brasileira, os espetáculos tiveram uma excelente recepção por parte do público, que riu e se emocionou com os personagens e suas histórias.

Plantando palavras, colhendo poesia

Após seis anos (2011 a 2016) circulando com Fio Após Fio e Brejo das Flores, o InConto Marcado estreou, em novembro de 2017, o seu terceiro e mais recente espetáculo: Plantou Palavra, Colheu Poesia. A montagem, uma homenagem aos poetas e cantadores do Nordeste, é uma livre adaptação do livro homônimo de Socorro Acioli. A autora foi a vencedora do Prêmio Jabuti 2013, na categoria Infantil, com o livro Ela tem olhos de céu.

Contemplado pelo IX Edital Mecenas das Artes, o espetáculo foi apresentado pela primeira vez em Paracuru, no litoral oeste do Ceará. Em seguida passou pelas cidades de Marco e Guaíba, sempre com dois dias de apresentações e duas sessões diárias. Tendo atingido um público estimado de 9500 espectadores, além de mais de 100 professores da rede pública capacitados pelas oficinas de teatro.

Em 2019, o espetáculo foi contemplado pelo Edital de Ocupação da Caixa Cultural e circulou pelas cidades de Fortaleza (CE) e Salvador (BA), em quatro apresentações, com público total de mais mil pessoas.

Depois de passar por três estados do Norte e do Nordeste do país, em 2020 o InConto Marcado chega pela primeira vez ao Sudeste, no estado do Rio de Janeiro. Depois de ser aprovado, em novembro de 2019, no 1º Edital Enel de Seleção de Projetos Culturais e Esportivos Incentivados, o projeto sofreu passou por uma reformulação devido à pandemia e foi dividido em duas etapas.

Na primeira, realizada ainda em 2020, na etapa digital do InConto Marcado, estão previstas ações como o lançamento deste site interativo, a produção de diversos vídeos que contam a trajetória do projeto, além da produção e veiculação de 6 vídeos contando a história/narrativa do espetáculo Plantou Palavra, Colheu Poesia. Esta etapa digital inclui ainda um Curso de Teatro Online para professores da rede pública das 6 cidades contempladas pelo projeto, com 480 vagas no total. O curso será disponibilizado em módulos, a partir de setembro de 2020, até janeiro de 2021.

Em 2021, o Inconto Marcado irá circular com o espetáculo Plantou Palavra, Colheu Poesia por 6 cidades do estado do Rio de Janeiro. As apresentações, que compõem a segunda etapa da etapa fluminense do projeto, acontecerão em Teresópolis, Nova Friburgo, Petrópolis, Bom Jardim, Santa Maria Madalena e Niterói, em datas que ainda serão divulgadas.

Lorem ipsum

Lorem ipsum

Uma caixa mágica e itinerante

Imagine estar na sua cidade e de repente ver entrar pela rua principal, rebocada por um carro, uma caixa colorida e misteriosa. Agora imagine que, depois de aberta, essa caixa revelasse cenários, figurinos adereços e instrumentos musicais que ajudavam a contar histórias mirabolantes, de personagens encantadores, que habitavam os reinos mais inusitados que imaginação humana pode conceber. Parece mágico, né? Pois deve ter sido assim que muitas crianças de cidades do interior do Ceará e do Tocantins se sentiram quando viram pela primeira vez a Carretinha.

Mais do que uma estrutura itinerante que ajudasse no transporte de equipamentos e materiais, a Carretinha foi criada para ser um elemento cênico. Inspirada no teatro mambembe, ela ajuda a capturar a imaginação e a curiosidade das crianças mesmo antes de ser aberta e revelar seu conteúdo. E, depois de aberta, é a estrutura perfeita para dar apoio a apresentações de rua, levando o teatro para onde o povo está. Colaborando assim para um dos principais objetivos do InConto Marcado: a democratização da arte.

Sempre presente nas circulações dos espetáculos do InConto Marcado, a Carretinha se tornou uma das suas marcas registradas. Lá estão as cores dos figurinos, as formas dos adereços, os sons dos instrumentos, mas, acima de tudo, ela guarda um pouco das histórias que foram contadas e ouvidas nesses dez anos estrada.